YouTube – THE RAVEN – EDGAR ALLAN POE

 

 

 

clip_image001

 

clip_image003

clip_image004Model of Richmond in Poe’s Time


The noted Richmond sculptor Edward Valentine, suggested to Mr. And Mrs. Archer Jones that a model of Richmond in Poe’s time be made and recommended Miss Edith Ragland as the builder. After much research with the help of the City Engineer’s office and local historians work began in 1925. The model was to depict the area from 5th (Moldavia) to 25th Streets (St. John’s Church).

Completed in 1927, the model remained in the West Room of the Old Stone House until 1964 when it was moved to its present building. Miss Ragland was again hired to restore the model and repair any damage caused by the move. Sergi Troubetzky completed additional renovations in 1984. The disastrous fire of November 1999 required restoration and cleaning which employees Michelle Dell’ Aria and Chris Semtner completed late in 2000. At that time the model was moved from the east to west wall, tilted for better viewing and a time line was added.

clip_image005Poeana
The Poe Museum owns one of the largest collections of Poe memorabilia in the world, much of it now currently on display. Fans of Poe will enjoy seeing the walking stick he accidentally left in Richmond fewer than two weeks before his mysterious death, the key found in his pocket during his final delirious days that opened the trunk in which he packed his few possessions, and the lock of hair a friend clipped from the poet’s famously lofty brow after he died.

Firsts
An exhibit of first editions of Poe’s work includes the expected, an 1845 copy of The Raven and other Poems, and the unexpected, a rare textbook on conchology, which became a bestseller and led to accusations against Poe of plagiarism when it was discovered he only wrote the introduction. Also on display are a facsimile of Poe’ s first book, Tamerlane, the 1827 publishing flop that is now the rarest and most valuable piece of American literature, an original manuscript of the mysterious prose poem "Siope" written in Poe’s fastidious hand and the edition of "Godey’s Lady’s Book" in which Poe’s scandalous and highly popular, "Literati of New York City," was published. This is the gleefully opinionated piece of literary gossip that made Poe unwelcome in the drawing rooms of successful New York writers while ensuring his East Coast notoriety.

"Lord, Have Mercy on My Poor Soul"
Poe died in this hospital October 7, 1849. The cause of his death is not known. The exhibit displays some of the various suggested causes.

1857 Beating
1874 Epilepsy
1921 Dipsomania
1926 Heart
1970 Toxic Disorder
1970 Hypoglycemia
1977 Diabetes
1984 Alcohol Dehydrogenase

1989 Porphyria
1992 Delirium Tremens
1996 Rabies
1997 Heart
1998 Murder (Beating)
1999 Epilepsy
1999 Carbon Monoxide Poisoning

The Raven Room

clip_image006Illustrations by James Carling. The Edgar Allan Poe Museum of the Poe Foundation, Inc. owns the James William Carling drawings housed in the Raven Room. Carling submitted these drawings to Harper and Brothers Publishers in 1882 for their forthcoming edition of The Raven. Gustave Dore also submitted illustrations. Dore, then at the end of a long and distinguished career, won over the young British artist. These are forty-three illustrations on exhibit. On the wall as you enter the room is a brief synopsis of the artist’s life.

 

Edgar Allan Poe (Boston, 19 de Janeiro de 1809Baltimore, 7 de Outubro de 1849) foi um escritor, poeta, romancista, crítico literário e editor estado-unidense.

Poe é considerado, juntamente com Jules Verne, um dos precursores da literatura de ficção científica e fantástica modernas. Algumas das suas novelas, como The Murders in the Rue Morgue (Os Crimes da Rua Morgue), The Purloined Letter (A Carta Roubada) e The Mystery of Marie Roget (O Mistério de Maria Roget), figuram entre as primeiras obras reconhecidas como policiais, e, de acordo com muitos, as suas obras marcam o início da verdadeira literatura norte-americana.

 

Vida

Edgar Allan Poe nasceu no seio de uma família escocesairlandesa, filho do actor David Poe Jr., que abandonou a família em 1810, e da actriz Elizabeth Arnold Hopkins Poe, que morreu de tuberculose em 1811. Depois da morte da mãe, Poe foi acolhido por Francis Allan e o seu marido John Allan, um mercador de tabaco bem sucedido de Richmond, que nunca o adoptou legalmente, mas lhe deu o seu sobrenome (muitas vezes erroneamente escrito "Allen"). Depois de frequentar a escola de Misses Duborg em Londres, e a Manor School em Stoke Newington, Poe regressou com a família Allan a Richmond em 1820, e registou-se na Universidade da Virgínia, em 1826, que viria a frequentar durante um ano apenas. Desta viria a ser expulso graças ao seu estilo aventureiro e boémio.

Na sequência de desentendimentos com o seu padrasto, relacionados com as dívidas de jogo, Poe alistou-se nas forças armadas, sob o nome Edgar A. Perry, em 1827. Nesse mesmo ano, Poe publicou o seu primeiro livro, Tamerlane and Other Poems. Depois de dois anos de serviço militar, acabaria por ser dispensado. Em 1829, a sua madrasta faleceu, ele publicou o seu segundo livro, Al Aaraf, e reconciliou-se com o seu padrasto, que o auxiliou a entrar na Academia Militar de West Point. Em virtude da sua, supostamente propositada, desobediência a ordens, ele acabou por ser expulso desta academia, em 1831, facto pelo qual o seu padrasto o repudiou até a sua morte, em 1834.

Poe mudou-se, em seguida, para Baltimore, para a casa da sua tia viúva, Maria Clemm, e da sua filha, Virgínia Clemm. Durante esta época, Poe usou a escrita de ficção como meio de subsistência e, no final de 1835, tornou-se editor do jornal Sothern Literary Messenger em Richmond, tendo trabalhado nesta posição até 1837. Neste intervalo de tempo, Poe acabaria por casar, em segredo, com a sua prima Virgínia, de treze anos, em 1836.

Em 1837, Poe mudou-se para Nova Iorque, onde passaria quinze meses aparentemente improdutivos, antes de se mudar para Filadélfia, e pouco depois publicar The Narrative of Arthur Gordon Pym. No verão de 1839, tornou-se editor assistente da Burton’s Gentleman’s Magazine, onde publicou um grande número de artigos, histórias e críticas. Nesse mesmo ano, foi publicada, em dois volumes, a sua colecção Tales of the Grotesque and Arabesque (traduzido para o francês por Baudelaire como "Histoires Extraordinaires" e para o português como Histórias Extraordinárias), que, apesar do insucesso financeiro, é apontada como um marco da literatura norte-americana.

Durante este período, Virgínia Clemm soube sofrer de tuberculose, que a tornaria inválida e acabaria por levá-la à morte. A doença da mulher acabou por levar Poe ao consumo excessivo de álcool e, algum tempo depois, este deixou a Burton’s Gentleman’s Magazine para procurar um novo emprego. Regressou a Nova Iorque, onde trabalhou brevemente no Evening Mirror, antes de se tornar editor do Brodway Journal. No início de 1845, foi publicado, no jornal Evening Mirror, o seu popular poema The Raven (em português "O Corvo").

Em 1846, o Brodway Journal faliu, e Poe mudou-se para uma casa no Bronx, hoje conhecida como Poe Cottage e aberta ao público, onde Virgínia morreu no ano seguinte. Cada vez mais instável, após a morte da mulher, Poe tentou cortejar a poeta Sarah Helen Whitman. No entanto, o seu noivado com ela acabaria por falhar, alegadamente em virtude do comportamento errático e alcoólico de Poe, mas bastante provavelmente também devido à intromissão da mãe de Miss Whiteman. Nesta época, segundo ele mesmo relatou, Poe tentou o suicídio por sobredosagem de láudano, e acabou por regressar a Richmond, onde retomou a relação com uma paixão de infância, Sarah Elmira Royster, então já viúva.

Diferentemente da maioria dos autores de contos de terror, Poe usa uma espécie de terror psicológico em suas obras,seus personagens oscilam entre a lucidez e a loucura,quase sempre cometendo atos infames ou sofrendo de alguma doença. Seus contos são sempre narrados na primeira pessoa.

Morte

No dia 3 de Outubro de 1849, Poe foi encontrado nas ruas de Baltimore, com roupas que não eram as suas, em estado de delirium tremens, e levado para o Washington College Hospital, onde veio a morrer apenas quatro dias depois. Poe nunca conseguiu estabelecer um discurso suficientemente coerente, de modo a explicar como tinha chegado à situação na qual foi encontrado. As suas últimas palavras teriam sido, de acordo com determinadas fontes, «It’s all over now: write Eddy is no more», em português, «Está tudo acabado: escrevam Eddy já não existe».

Nunca foram apuradas as causas precisas da morte de Poe, sendo bastante comum, apesar de incomprovada, a ideia de a causa do seu estado ter sido embriaguez. Por outro lado, muitas outras teorias têm sido propostas ao longo dos anos, de entre as quais: diabetes, sífilis, raiva, e doenças cerebrais raras.

Estilo literário e temas

Gêneros

As obras mais conhecidas de Poe são Góticas, um gênero que ele seguiu para satisfazer o gosto do público. Seus temas mais recorrentes lidam com questões da morte, incluindo sinais físicos dela, os efeitos da decomposição, interesses por tapocrifação, a reanimação dos mortos e o luto. Muitas das suas obras são geralmente consideradas partes do gênero do romantismo negro, uma reação literária ao transcendentalismo, o qual Poe fortemente não gostava.

Além do horror, Poe também escreveu sátiras, contor de humor e hoaxes. Para efeito cômico, ele usou a ironia e a extravagância do rídiculo, muitas vezes na tentativa de liberar o leitor da conformidade cultural. De fato, "Metzengerstein", a primeira história que Poe publicou, e sua primeira incursão em terror, foi originalmente concebida como uma paródia satirizando o gênero popular. Poe também reinventou a ficção científica, respondendo na sua escrita às tecnologias emergentes como balões de ar quente em "The Balloon-Hoax".

Poe escreveu muito de seu trabalho usando temas especificamente oferecidos para os gostos do mercado em massa. Para esse fim, sua ficção incluiu muitas vezes elementos da popular pseudociência, como frenologia e fisiognomia.

Teoria literária

A escrita de Poe reflete suas teorias literárias, que ele apresentou em sua crítica e também em peças literárias como "The Poetic Principle". Ele não gostava de didaticismo e alegoria, pois acreditava que os significados na literatura deveriam ser uma subcorrente sob a superfície. Trabalhos com significados óbvios, ele escreveu, deixam de ser arte. Ele acreditava que o trabalho de qualidade deveria ser breve e concentrar-se em um efeito específico e único. Para isso, ele acreditava que o escritor deveria calcular cuidadosamente todos sentimentos e idéias. Em "The Philosophy of Composition", uma peça na qual Poe descreve seu método de escrita em "The Raven", ele afirma ter seguido estritamente este método. Porém, foi questionado se ele realmente seguiu esse sistema. T. S. Eliot disse: "É difícil para nós lermos esta peça sem pensar se Poe escreveu seu poema com tanto cálculo, ele poderia ter pego um pouco mais de dores sobre isto: o resultado dificilmente tem crédito ao método". O biógrafo Joseph Wood Krutch descreveu a peça como "um exercício um tanto engenhoso na arte de racionalização".

Obras

· A Dream (1827)

· A Dream Within a Dream (1827)

· Dreams (1827)

· Tamerlane (1827)

· Al Aaraaf (1829)

· Alone (1830)

· To Helen (1831)

· Israfel (1831)

· The City in the Sea (1831)

· To One in Paradise (1834)

· The Conqueror Worm (1837)

· The Narrative of Arthur Gordon Pym (1838)

· Silence (1840)

· A Descent Into the Maelstrom (1841)

· Tell Tale Heart (1843)

· Lenore (1843)

· The Black Cat (1843)

· Dreamland (1844)

· The Purloined Letter (1844)

· The Divine Right of Kings (1845)

· The Raven (1845)

· Ulalume (1847)

· Eureka (1848)

· Annabel Lee (1849)

· The Bells (1849)

· Eldorado (1849)

· Eulalie (1850)

· The pit and the pendulum (1842)

Esse post foi publicado em Educação. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s